Lava-Jato no Rio prende procurador suspeito de receber propina em obras do metrô

Agentes da Lava-Jato no Rio saíram às ruas na manhã desta segunda-feira para cumprir mandado expedido pela Justiça em nova fase da operação. Segundo o G1, o procurador do estado Renan Saad foi preso sob suspeita de ter recebido propinaem obras do metrô do Rio.
a operação foi desencadeada após a delação premiada do ex-diretor de contratos da empreiteira Odebrecht Marcos Vidigal do Amaral. Saad teria recebido R$ 1,265 milhão em pagamentos relacionados ao metrô do Rio. O delator disse que o procurador recebeu R$ 300 mil de caixa 2 em troca de um parecer sobre a Linha 4.
Os agentes deixaram a sede da Polícia Federal do Rio pouco antes de 6h desta segunda-feira e cumpriram o mandado na casa de Saad, em São Conrado, na Zona Sul do Rio.
O parecer favorável de Saad teria sido "fundamental" para viabilizar as obras da Linha 4, segundo a investigação. O procurador, que era identificado no Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht como "Gordinho", teria recebido repasses da empreiteira entre 2010 e 2014, de acordo com a forta-tarefa. Um deles teria sido realizado no escritório de advocacia de Saad.
Ainda segundo a GloboNews, outra investigação apura se mudanças feitas nesta obra causaram prejuízos ao Estado do Rio.

Extra/Globo News

Nenhum comentário