Águas do Paraíba faz alerta sobre desperdício de água



A concessionária Águas do Paraíba, responsável pela captação e abastecimento de água no município, fez nesta quinta-feira, um alerta de que as decisões da Agência Nacional das Águas (ANA) sobre o rio Paraíba podem alterar o cenário da crise de água que afeta o país. Outra advertência feita pela concessionária foi sobre o desperdício de água. Apesar disso, a empresa garante que em Campos o abastecimento está normal. 

Mas em Morro do Coco, Conselheiro Josino, Murundu e Vila Nova, a situação é crítica, para onde pelo menos, dois caminhões pipa são enviados diariamente. O reservatório de Paraibuna, um dos quatro que abastecem o Rio de Janeiro, chegou ao volume morto.

O gerente de operações da concessionária, Silas de Almeida alertou que "decisões da ANA com relação à Bacia do Paraíba do Sul, em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro podem alterar o cenário do rio, que é o principal manancial de captação de água em Campos dos Goytacazes", se referindo à autorização para obras de transposição que Supremo Tribunal Federal concedeu aos estados em um acordo assinado no dia 27 de novembro de 2014.

Ele fez um alerta ainda para o desperdício de água, que ocorre, principalmente nas comunidades carentes e conjuntos habitacionais "onde proliferam 'gatos' e furto de água". "Quem furta, não paga, e é quem mais desperdiça", observou Silas. 

Outra preocupação são as constantes oscilações de tensão e interrupção de energia elétrica, o que obriga a concessionária a manter 11 geradores de energia para garantir a normalidade no abastecimento. Mesmo assim, a concessionária informou que "o abastecimento está dentro da normalidade e sem especulação de racionamento" e que "graças aos equipamentos instalados e tecnologia implantada, ela consegue captar a água em condições severas." 

Situação crítica no norte do município

Por causa da seca, a concessionária está administrando "situação crítica" em quatro distritos da região norte do município: Conselheiro Josino, Morro do Coco, Murundu e Vila Nova. Nessas localidades, a concessionária está fazendo "gestão" de demanda", enviando todos os dias, rotativamente, dois caminhões pipa, para reforçar o abastecimento nas estações de tratamento de água. O problema é que como as residências continuam sendo abastecidas, a maioria dos moradores acha que a situação está normal e não faz economia como é necessário. Por isso, a concessionária ressalta que o uso consciente da água é a melhor forma de evitar problemas. 

Na última quarta-feira (21), o nível do reservatório de Paraibuna, o maior de quatro que abastecem o estado do Rio, atingiu o volume morto que é a água que está abaixo do nível das comportas e precisa ser puxada por bombas. O estado do Rio é abastecido por quatro reservatórios: o Paraibuna, Santa Branca, Jaguari e Funil. Todos ficam dentro de hidroelétricas e, além de produzir energia, armazenam para abastecimento de água do Rio Paraíba - que passa por São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. De acordo com o boletim do ONS, os níveis dos reservatórios de Santa Branca, Jaguari e Funil está em 0,65%, 2% e 4,15%, respectivamente. No último boletim divulgado pela ANA, o nível da bacia do Rio Paraíba do Sul chegou a 1,22% na última terça-feira (20).

FONTE: JORNAL O DIÁRIO

Nenhum comentário