Após disputa com Centauro, Magazine Luiza compra Netshoes

Assembleia de acionistas da varejista virtual Netshoes decidiu nesta sexta-feira (14) pela proposta de aquisição feita pela Magazine Luiza, que avalia a companhia em R$ 445 milhões.
A empresa vinha sendo desde abril alvo de uma disputa que também contava com a participação do Grupo SBF, dono da rede de lojas Centauro, com sucessivas propostas das duas interessadas.
Devido ao interesse das duas, o valor oferecido mais do que dobrou no período.
 proposta inicial, do Magazine Luiza, oferecia US$ 2 (R$ 7,76) por ação da Netshoes.

Na última quinta-feira (13), o Magazine Luiza ofereceu US$ 3,70 por ação da companhia, igualando o que era até então a última proposta da Centauro, o equivalente a US$ 115 milhões (R$ 445 milhões).
A Centauro contra-atacou na noite do mesmo dia, propondo desembolsar US$ 4,10 por ação, mais do que o dobro da proposta inicial,mas foi vencida na votação dos acionistas.
A operação da varejista virtual será incorporada ao Magazine Luiza a partir do dia 19 de junho.
 Netshoes abriu capital há dois anos, mas desde então vinha sendo penalizada por investidores por seu endividamento elevado e crescimento do prejuízo. Desde o IPO, os papéis recuaram 85,3% na Bolsa.
No primeiro trimestre deste ano, a companhia registru perdas de R$ 66,7 milhões.
Pedro Guasti, presidente do conselho de comércio eletrônico da FecomércioSP, diz acreditar que, mesmo com os resultados negativos, a companhia seguiu interessante para compradores por ter uma marca forte, uma operação consistente (com eficiência e agilidade nas entregas) e uma grande base de consumidores.
A companhia afirmou em relatório de resultados do primeiro trimestre ter 23,9 consumidores cadastrados em suas plataformas.
Na avaliação de Guasti, as dificuldades financeiras da Netshoes são decorrência de ela não ter feito a transição para um modelo de multicanalidade, que se tornou tendência no comércio eletrônico nos últimos anos.
A partir dele, consumidores podem, por exemplo, comprar um item no site e retirar na loja, experimentar produtos em espaços físicos e fechar a compra no site ou trocar produtos adquiridos em um canal a partir de outro.
Na avaliação de Guasti, a falta de integração de canais tornou a Netshoes dependente de altos investimentos em publicidade para conseguir clientes na internet, usando plataformas como Google, Facebook, Instagram, comparadores de preços ou programas de afiliados (que recompensam quem direciona clientes para uma loja).
Folha de São Paulo

Nenhum comentário