PF cumpre mandato de prisão por pagamento de propina nas obras da Linha 4 do Metrô do Rio

Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal deflagrou hoje (14/3) a Operação Tolypeutes*, com o objetivo de desarticular um grupo criminoso responsável por cobrar propina e por lavagem de dinheiro em contratos de obras civis no estado do Rio de Janeiro, em especial na construção da Linha 4 do Metrô.  A Operação, nova fase da Lava Jato no Rio de Janeiro, é realizada em conjunto com o Ministério Público Federal e a Receita Federal.
Aproximadamente 40 policiais federais cumprem 2 mandados de prisão preventiva, 13 mandados de busca e apreensão e 3 mandados de condução coercitiva, expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal/RJ, na capital fluminense e no município de Sapucaia/RJ.
As investigações, iniciadas há 4 meses, apontam a participação de um ex-subsecretário de Transportes do Governo do Rio e de um diretor da Companhia de Transporte sobre Trilhos do RJ (Riotrilhos) no grupo criminoso. Os envolvidos procuravam as empreiteiras interessadas em assumir obras de infraestrutura no estado, cobrando vantagens indevidas com o objetivo de garantir a contratação para os serviços. A propina era paga, de forma dissimulada, a partir de aditivos que aumentavam os valores devidos, bem como alteravam o escopo técnico das obras.
Os presos serão indiciados por corrupção e lavagem de dinheiro. Após os procedimentos de praxe, eles serão encaminhados ao sistema prisional do estado.
Não haverá entrevista coletiva.
* O nome da Operação é uma referência ao “Tatuzão”, equipamento utilizado nas escavações das obras do metrô.



Nenhum comentário