Autopista entrega mais um trecho de duplicação na BR-101


A Autopista Fluminense libera para o tráfego mais um segmento de pista duplicada na BR-101 RJ/Norte, entre o km 229,3 e o km 236,4, em Silva Jardim. Com esse trecho, a concessionária chega a 51 quilômetros de pistas duplicadas entregues na BR-101, sendo 37 na região entre Campos dos Goytacazes e Macaé e outros 14 quilômetros na região entre Casimiro de Abreu e Silva Jardim. Somente em 2015, a Autopista Fluminense investiu R$ 354 milhões na rodovia.

“Nossas equipes estão empenhadas para entregar novos trechos duplicados ainda neste primeiro semestre, nas regiões de Campos dos Goytacazes, incluindo as correções de traçado, Rio Bonito e Casimiro de Abreu. Estamos priorizando as áreas com possibilidades imediatas de entrega, que serão anunciadas conforme andamento dos trabalhos”, comentou Odílio Ferreira, diretor superintendente da Autopista Fluminense.

Como parte das obras de duplicação da BR-101 RJ/Norte, no segundo semestre de 2015, a Autopista Fluminense entregou quatro novos trevos em desnível (viadutos) em importantes entroncamentos da BR-101 RJ/Norte, substituindo as interseções em nível, pela qual os usuários cruzavam as pistas da rodovia: Km 125, no entroncamento da rodovia com a RJ-196; Km 138, no entroncamento da rodovia com a RJ-182; km 144, no entroncamento com a RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto); e no km 190, no entroncamento da rodovia com a RJ-162.
  
Com os novos trevos, as cidades de Carapebus, Conceição de Macabu, Quissamã, Macaé e Rio das Ostras ganharam novos acessos, mais seguros, que também permitem manobras de retorno aos usuários das rodovias e os moradores das regiões. Um investimento de cerca de R$60 milhões em segurança viária.

Apesar do regime atípico de chuvas no final de 2015, as obras seguem conforme a programação, em mais de 65 quilômetros da rodovia.

Redução nos índices de acidentes e vítimas fatais – gráficos anexos.

As obras modernização e ampliação da BR-101/RJ Norte, em conjunto da fiscalização ostensiva da Polícia Rodoviária Federal e a implantação de radares fixos, começam a mostrar importantes resultados na redução de acidentes e mortes. Em 2015, a Autopista Fluminense registrou 119 casos de vítimas fatais. Este é o menor número desde que Autopista Fluminense assumiu a operação da rodovia em 2008. Entre os meses de janeiro e dezembro de 2014 foram registrados 163 casos na BR-101/RJ Norte, o que representa uma redução de 27% no período. O histórico favorável de reduções de acidentes e vítimas fatais é registrado desde 2013.

O avanço das obras de duplicação da BR-101 é uma das principais explicações para o aumento da segurança. As novas pistas duplicadas da BR-101 RJ/Norte contam com duas faixas de rolamento em cada sentido. Muretas de concreto dividem as pistas e, em alguns segmentos específicos, são separadas por canteiro central. Em virtude desse processo de duplicação das pistas, o número de casos de colisões frontais apresentou redução de 31% em relação ao número de vítimas fatais em virtude desse tipo de acidente, com queda de 61 para 42 ocorrências entre os meses de janeiro e dezembro de 2014. Se compararmos com o ano de 2012, com 94 ocorrências – a maior no período desde o início da concessão, a redução de mortes provenientes de colisão frontal chega a 55%.

“Os números mostram que os investimentos realizados nas obras de duplicação e implantação de trevos estão contribuindo para tornar a BR-101 RJ/Norte uma rodovia mais segura para os usuários, eliminando consideravelmente colisões frontais, transversais e laterais, uma das principais causas de mortes em rodovias”, comentou Odílio Ferreira.

Os investimentos também tiveram como foco a melhoria contínua dos serviços de atendimento e operação das rodovias. Muitas das iniciativas adotadas são compartilhadas entre as nove concessionárias do grupo Arteris por meio GERAR – Grupo de Estudos de Redução de Acidentes em Rodovias. Multidisciplinar, promove reuniões periódicas e incentiva melhores práticas em segurança viária. A Arteris também é signatária da Década de Segurança da ONU e tem como objetivo diminuir no mínimo 50% as mortes nas rodovias na comparação com 2010.

Paralelamente à duplicação das pistas, é realizada a implantação de trevos em desnível, passarelas, sistema de iluminação, dispositivos de segurança, drenagem, manutenção, monitoramento da rodovia por câmeras. Os serviços de pronto-atendimento, com os socorros médicos e mecânicos prestados 24 horas pela concessionária, também são importantes para diminuir os índices fundamentais para reduzir as vítimas fatais devido a agilidade do atendimento pré-hospitalar.

Sobre as obras de duplicação
A duplicação de 176,6 quilômetros da BR-101/RJ, entre Rio Bonito e Campos dos Goytacazes, é a maior obra do contrato de concessão assinado entre a Autopista Fluminense e o Governo Federal. Conforme prevê o Programa de Exploração da Rodovia (PER), o segmento da BR-101 a ser duplicado foi subdivido em três trechos, com previsão de término das obras em fevereiro de 2017. O terceiro trecho, entre as cidades de Macaé e Casimiro de Abreu, com 46km de extensão, que atravessa a Reserva Biológica União, ainda permanece em processo de licenciamento ambiental.

Nenhum comentário