Combustível já está mais caros



O aumento do combustível — 3% na gasolina e 5% no diesel — anunciado pela Petrobras na última quinta-feira (06) não agradou em nada os consumidores. Nesta sexta-feira (07), quem procurou os postos encontrou o preço com reajuste e não ficou nada satisfeito. Com o aumento a gasolina passa a custar nas bombas R$ 3,19 e o diesel R$ 2,59. Durante o anúncio, a empresa ressaltou que “os preços da gasolina e do diesel, sobre os quais incide o reajuste anunciado, não incluem os tributos federais CIDE e PIS/Cofins e o tributo estadual ICMS”.

O último reajuste do combustível foi em novembro do no passado, quando o governo concedeu 4% para a gasolina e 8% para o diesel. Como o reajuste foi realizado nas refinarias na sexta, o novo valor aos consumidores só deveriam ser repassados para os consumidores neste sábado (09), mas não foi isso que aconteceu nos principais postos de Campos. A mudança foi feita na sexta mesmo. Para os donos de postos de gasolina, o reajuste já era esperado devido às promessas do governo federal. Eles informaram que não houve reclamação por parte dos consumidores no primeiro dia de aumento.

— O movimento continua normal, os clientes estão abastecendo como um dia qualquer. Acredito que o reajuste não tenha influenciado tanto assim na rotina deles — informou Carlos Antônio Figueira, gerente de um posto.

Mas os consumidores não ficaram satisfeitos. Helio José Pantaleão da Fonseca informou que apesar de ser 3% o reajuste vai influenciar no dia a dia das pessoas. “Influencia sempre porque agora terei que economizar em outras coisas para poder colocar a mesma quantidade de antes e isso vai ser realmente muito complicado. Terei que abrir mão de certos privilégios para não andar a pé”, disse ele.

Quem também não ficou nada satisfeito foi o estudante Marlon Garcia, que pretende diminuir gastos para compensar a despesa a mais. “Vou tentar diminuir a quantidade de combustível e ver o que vai acontecer. Esse aumento já era previsto mesmo”, disse.

Novos reajustes para bens e serviços

Segundo dados do Índice de Preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o reajuste do combustível pode impactar a inflação em novembro. O instituto divulgou o resultado do IPCA de outubro, considerado a inflação oficial do país, que desacelerou para 0,42%, mas continua acima da meta do Banco Central, com alta de 6,59% no acumulado de 12 meses.

Tudo isso vem preocupando os consumidores, que temem reajuste em outras tarifas como energia elétrica, transporte e alimentação. Para a dona de casa Juracy de Almeida Pessanha os reajuste de outras tarifas serão inevitáveis.

— Fico muito preocupada porque temo a volta de aumentos em vários setores que com certeza vão mexer no nosso bolso. Se a gasolina aumentou vai ter aumento de luz e outros setores. Teremos que economizar — disse ela.

A preocupação da dona de casa é endossada pelos economistas. O aumento do combustível provoca uma reação em cadeia e é esperado reajuste de bens e serviços.

fmanha

Nenhum comentário