Dilma e Aécio disputarão segundo turno



A presidente Dilma Rousseff (PT) não conseguiu se reeleger no primeiro turno e irá disputar o segundo turno das eleições com o candidato do PSDB, Aécio Neves. Com quase 100% das urnas apuradas, ela registrava 41,58%, 43.215.012 votos e o tucano, com 33,57%, tinha 34.875.699 votos. Marina Silva (PSB) que chegou a ficar em primeiro e durante boa parte da campanha esteve em segundo lugar como possível adversária de Dilma para o segundo turno, somou 21,31% com 22.154.364 votos. Iniciada às 17h, a apuração dos votos foi concluída às 23h. O segundo turno acontece no dia 26 de outubro.

Luciana Genro (PSOL) ficou em quarto lugar com 1,55%, 1.611.207 votos, e os outros candidatos: Pastor Everaldo (PSC), Eduardo Jorge (PV), Levy Fidelix (PRTB), Zé Maria (PSTU), Eymael (PSDC), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO) não chegaram a 1%. 

Antes mesmo de a apuração ser concluída, Dilma, acompanhada do vice Michel Temer e lideranças do PT, agradeceu ao povo brasileiro e disse que "a luta continua". "Me sinto como se tivesse recebido um recado: que eu devo seguir em frente, que eu devo continuar nessa luta junto com cada um desses eleitores e dessas eleitoras para mudar o Brasil". Para ela, o principal recado "é que o povo brasileiro anseia por mais avanços e vê no projeto que eu represento a mais legítima e confiável força de mudança".

Aécio Neves falou em seu primeiro pronunciamento sobre gratidão. "Na verdade, quem venceu foi o sentimento de mudança de grande parte da população brasileira. E eu me sinto honrado em representar esse sentimento", disse, ressaltando que vai intensificar a campanha para o segundo turno. "Não vamos nos dispersar. Estamos apenas no meio dessa caminhada", afirmou o candidato do PSDB. Segundo ele, a campanha para o segundo turno irá deixar claro que "não se trata mais do projeto de um partido, mas dos brasileiros".

Em entrevista coletiva, Marina disse que irá se reunir com o PSB e com os demais partidos da coligação "Unidos pelo Brasil" e adotar um posicionamento mais forte para o segundo turno. No entanto, reafirmou que irá seguir o compromisso de Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo em 13 de agosto, "de nunca desistir do Brasil".

Ela agradeceu pelos votos e disse que "o Brasil votou contra tudo aquilo que identifica como errado no atual governo", disse. Esta é a quarta vez consecutiva que PT e PSDB disputam a presidência no segundo turno. 

Dilma faz "v" e mostra comprovante de votação

Tendo a acompanhá-la o candidato à reeleição ao governo estadual Tarso Genro, o candidato ao Senado, Olívio Dutra, Dilma Rousseff (PT) votou por volta das 8h45 de na Escola Estadual Santos Dumont, na Vila Assunção, zona sul de Porto Alegre. Na chegada, cumprimentou os mesários. Depois de votar, ela fez o V da vitória, mostrou o comprovante de votação e disse que era um incentivo ao voto. Mais cedo, a presidente tomou café da manhã com aliados políticos em um hotel no centro da capital gaúcha. Ela disse que sempre trabalhou com a possibilidade de disputar o segundo turno. 

Aécio diz que fez a campanha que queria ter feito

Acompanhado da esposa Letícia Weber, Aécio Neves, (PSDB chegou às 10h20 para votar na Escola Estadual Governador Milton Campos, no Bairro de Lourdes, em Belo Horizonte, fazendo o "V" de vitória. Ele teve dificuldades de entrar na escola, com o grande número de jornalistas e apoiadores que aguardavam a sua chegada. Ficou cerca de 15 minutos no local. Em coletiva de imprensa, voltou a dizer que fez a campanha que queria ter feito, "apresentando um projeto para o Brasil" e comentou a mudança de cenários apresentadas pelas últimas pesquisas de intenção de voto.

Marina votou no Acre e seguiu para São Paulo

Marina Silva (PSB) votou em uma seção eleitoral de Rio Branco, no Acre, tendo chegado à seção por volta de 8h30 (horário local) e foi recebida por familiares. Antes de votar, a candidata cumprimentou os mesários. Ela demorou pouco mais de um minuto e 30 segundos na cabine de votação. Depois de votar, Marina concedeu entrevista coletiva à imprensa e em seguida foi para o hotel onde estava hospedada. De lá, acompanhada de sua equipe de campanha, embarcou para São Paulo, de onde passou a acompanhar a apuração. 

Genro avalia a acolhida do eleitor como muito positiva

Luciana Genro (PSOL) optou por comparecer à seção aonde votou (na Escola Estadual Apeles, no bairro Santana, em Porto Alegre) acompanhada do ex-marido e candidato ao governo do Rio Grande do Sul, Roberto Robaina, às 12h30. Antes, reuniu militantes e lideranças para um café na sede do partido. Minutos depois, em entrevista à Rádio Gaúcha, disse que recebeu acolhida muito positiva do eleitor e insistiu "que as pessoas votassem pelas bandeiras em que se acredita".

Fonte: Jornal O Diário

Nenhum comentário