Norte e Noroeste Fluminense registram 94 casos suspeitos de coronavírus




Subiu para 94 o número de casos suspeitos do novo coronavírus na Região Norte e Noroeste Fluminense. Na manhã deste sábado (21), a Prefeitura de São Fidélis confirmou que mais três casos estão sendo monitorados no município, totalizando seis pacientes com suspeita de contaminação. Até o momento, estão sendo acompanhados pacientes em Campos (11), São João da Barra (3), São Francisco de Itabapoana (4), Macaé (30), Conceição de Macabu (1), Itaperuna (26), Santo Antônio de Pádua (4), Miracema (4), Varre-Sai (2), Itaocara (2) e Cambuci (1). Em todo o estado do Rio de Janeiro, são 110 casos suspeitos de contaminação e três mortes pela doença: uma em Miguel Pereira, uma em Niterói e uma em Petrópolis. O Brasil contabiliza 786 confirmações do Covid-19, com 12 mortes no total.

A Superintendência de Vigilância em Saúde de São Fidélis confirmou os novos três casos, destacando que foram colhidos materiais para exame. As amostras foram enviadas para Laboratório Central Noel Nutels (Lacen-RJ). Em relação aos outros três casos, o município ainda aguarda o laudo com o resultado.
— A gente pede, novamente, para os munícipes ficarem em casa, terem as medidas de prevenções (lavagem de mão e uso do álcool em gel) e evitarem aglomerações. A gente não tem certeza se esses casos são confirmados, mas, assim que chegar o resultado, como prometido oficialmente, a gente vai noticiar se são casos positivos ou negativos para o coronavírus — informou a superintendente de Vigilância em Saúde, Hítalla Valentim.
Casos confirmados — Até o momento, o estado do Rio registra 110 casos, distribuídos nas seguintes cidades: Rio de Janeiro (89), Niterói (10), Petrópolis (3), Barra Mansa (1), Guapimirim (1) e Miguel Pereira (1). Há ainda três (3) estrangeiros confirmados para a Covid-19, além de dois (2) casos com o local de residência em investigação.

Não há casos confirmados no Norte e Noroeste Fluminense, essa informação é importante para que as pessoas fiquem tranquilas.

Folha1. Com informações do Jornal Olhar

Nenhum comentário