Ex Prefeito Aliado de Garotinho Morre!


O ex-prefeito do Rio Luiz Paulo Conde morreu na madrugada desta terça-feira (21) no Hospital Samaritano, na Zona Sul do Rio. Aos 80 anos, ele estava internado há cerca de um ano lutando contra um câncer na próstata. A informação foi confirmada pelo filho dele, Marcelo Conde.
Arquiteto, Conde foi prefeito do Rio de Janeiro pelo PFL de 1997 a 2000. Em 1999, rompeu com Cesar Maia após este perder a eleição ao governo do estado para Anthony Garotinho. Entre as suas principais realizações de Conde estão projetos iniciados na primeira gestão de Maia, quando ainda era do PFL, como o Favela-Bairro e o Rio Cidade, ambos projetos de urbanização.

Em 2000, tentou a reeleição mas perdeu, desligando-se do PFL e aderindo ao PSB de Garotinho, tornando-se vice-governador de Rosinha Garotinho nas eleições de 2002. Um ano depois, acompanhou Garotinho na troca do PSB pelo PMDB, no qual se candidatou mais um vez para prefeito do Rio e perdeu. Assumiu, então, a secretaria de Cultura no governo de Sérgio Cabral (PMDB). 
Em redes sociais, o secretário da Casa Civil Pedro Paulo lamentou a morte. “Dos traços de um dos mais brilhantes arquitetos à dedicação pela cidade onde nasceu e que tanto amava. A história de Luiz Paulo Conde se confundia com vários momentos da história do Rio. E hoje, o Rio perdeu seu ex-prefeito, urbanista cujo trabalho pela cidade está eternizando no Favela-Bairro — marco da política de urbanização em comunidades —, Rio Cidade e pela conclusão da Linha amarela. Lamento a perda e me solidarizo com sua família e amigos”.
Políticos lamentam na web morte de Luiz Paulo Conde, ex-prefeito do Rio (Foto: Reprodução/Twitter)Políticos lamentam na web morte de Luiz Paulo
Conde (Foto: Reprodução/Twitter)
Presidente da Câmara, Eduardo Cunha também se pronunciou na internet e se disse "triste" pela morte. "O Rio e o Brasil perderam um homem sério, competente e um grande prefeito. Eu perdi um amigo", escreveu.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, decretou luto oficial de três dias pela morte do ex-prefeito. "O Rio de Janeiro perdeu hoje um grande realizador. Luiz Paulo Conde fez parte de um grupo seleto de cariocas que tiveram o prazer e o orgulho de gerir a nossa ​C​idade ​Maravilhosa. Hoje, o Rio está mais triste com sua perda”, disse Paes, em nota.
O governador do Rio Luiz Fernando Pezão lamentou a morte do ex-prefeito, de quem se disse amigo desde o tempo em que era prefeito de Piraí. "Lamento muito a morte dele. Convivi com ele quando eu era prefeito. Era um grande ser humano, um grande arquiteto. Era um companheiro da boa mesa. almoçamos e jantamos muitas vezes juntos. Era um grande amigo, um grande homem público", afirmou Pezão.
Conde é enterrado no Rio, após velório no Palácio da Cidade

O ex-prefeito do Rio, Luiz Paulo Conde, foi enterrado no início da tarde desta quarta-feira (22) no cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. Internado há cerca de um ano para tratar um câncer na próstata, o político morreu na madrugada de terça-feira (21), aos 80 anos, depois de sofrer uma parada cardíaca.
Amigos e parentes do ex-prefeito estiveram no velório, na noite de terça-feira e na manhã desta quarta (22), no Palácio da Cidade, em Botafogo. Políticos, como o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, o prefeito Eduardo Paes (vide foto) e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, compareceram ao velório. 
Pezão e Paes no velório de Luiz Paulo Conde (Foto: Daniel Silveira/G1)Pezão e Paes no velório de Luiz Paulo Conde
(Foto: Daniel Silveira/G1)
Arquiteto, Conde foi prefeito do Rio de Janeiropelo PFL de 1997 a 2000. Em 1999, rompeu com Cesar Maia após este perder a eleição para o governo do estado para Anthony Garotinho. Entre as principais realizações de Conde estão projetos iniciados na primeira gestão de Maia, quando ainda era do PFL, como o Favela-Bairro e o Rio Cidade, ambos projetos de urbanização.
Em 2000, tentou a reeleição mas perdeu, desligando-se do PFL e aderindo ao PSB de Garotinho, tornando-se vice-governdor de Rosinha Garotinho nas eleições de 2002. Um ano depois, acompanhou Garotinho na troca do PSB pelo PMDB, pelo qual se candidatou mais um vez à Prefeitura do Rio e perdeu. Assumiu, então, a secretaria de Cultura no governo de Sérgio Cabral (PMDB).
G1

Nenhum comentário