MPRJ: abre inquéritos para investigar venda de remédios à Saúde do Rio: sete empresas são alvos da apuração, além do ex-secretário da pasta



Sete empresas entraram na mira do Ministério Público por supostas irregularidades no fornecimento de medicamentos à Secretaria Estadual de Saúde contratados por dispensa de licitação. Inquéritos para investigar as emergenciais dos remédios foram abertos pela Força Tarefa de Atuação Integrada na Fiscalização das Ações Estaduais e Municipais de Enfrentamento à Covid-19 e pela 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Cidadania da Capital. Há suspeita de que algumas empresas sejam controladas e por um mesmo grupo que atua também em vários municípios fluminenses

Os alvos das investigações são as empresas Carioca Medicamentos e Material Médico, Speed Século XXI, Sogamax Distribuidora de Produtos Farmacêuticos, Avante Brasil Comércio, Lexmed Distribuidora, Sysgraphic Comércio e Medical Health Comércio e Serviço, além do ex-secretário Edmar Alves dos Santos, ex-sub-secretário Gabriell Carvalho Neves Franco dos Santos e ex-superintendente de logística e suprimentos, Gustavo Borges da Silva.

O Ministério Público quer saber se houve superfaturamento e vai apurar “as evidências de um suposto revezamento ilícito entre os concorrentes nas propostas apresentadas ao poder público, de fraude nas concorrências e de um fracionamento ilegal das contratações, burlando diversos princípios que regem as contratações públicas”.

 “O Estado precisa, mais do que nunca, gerir seus gastos eficientemente, maximizando as aquisições de medicamentos e de material médico-hospitalar, dada a necessidade urgente de se fortalecer o sistema de saúde estadual para evitar seu colapso”, diz um trecho da portaria do MP.

Elizeu Pires

Nenhum comentário