Sérgio Moro saí, mas recebe convites para trabalhar



A força tarefa da operação Lava Jato se manifestou dizendo que “a tentativa de nomeação de autoridades para interferir em investigações é ato da mais elevada gravidade e abre espaço para a obstrução do trabalho contra a corrupção e outros crimes praticados por poderosos, colocando em risco todo o sistema anticorrupção brasileiro”.
Em seu discurso de demissão, Moro reclamou de interferência política na Polícia Federal. O ex-juiz decidiu sair do governo após perder uma queda de braço com Bolsonaro em relação à chefia da Polícia Federal. A demissão do diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, foi publicada no Diário Oficial nesta manhã. A fala de Moro começou às 11 horas e durou cerca de 40 minutos.

Convites para trabalhar:
O governador de Santa Catarina Carlos Moisés (PSL) convidou Sérgio Moro para integrar sua equipe de Governo. Em uma de suas redes sociais, Moisés lamentou a saída do ex-ministério da pasta da Justiça nesta sexta-feira (24) e disse que ele seria bem-vindo no estado catarinense.

O outro foi o Governador do Rio que públicou:




G1

Nenhum comentário