Vereador de São João da Barra é preso

De acordo com o MP, a prisão em flagrante foi realizada logo após o vereador receber o valor de R$ 3,5 mil de um assessor, que se enquadra no confisco de parte dos salários dos servidores. O ato configura crime de peculato.
Ainda segundo a entidade, Gerson Crispim já vinha sendo investigado pelo MPRJ por supostos repasses de valores mensais da remuneração de servidores nomeados por ele para trabalhar em seu gabinete, sendo a prisão decorrente de ação controlada judicialmente comunicada.
Segundo as investigações, há uma organização criminosa hierarquicamente organizada e suficientemente sedimentada voltados à crimes contra a administração pública da cidade, causando prejuízos aos cofres públicos do Município de São João da Barra.

Isto É 

Nenhum comentário