Moradores da Praia do Sossego interditam rodovia em protesto contra loteamento


Na localidade de Sossego, litoral de São Francisco de Itabapoana vive um dia de protesto contra um loteamento que está sendo estruturado na comunidade. A área em que está sendo erguido o loteamento, até então servia como o campo de futebol da localidade, porém na manhã de hoje (25/02), maquinas começaram a remover a estrutura da área para se transformar em loteamento.

 Revoltados com tal medida, moradores interditaram a principal rodovia de acesso a localidade de Guaxindiba. Com paus, pedras e galhos, os manifestantes colocaram fogo na rodovia, exigindo que a Prefeita, Francimara Barbosa Lemos revogue o decreto de aprovação de consulta prévia da área para servir como loteamento. “O campo é nosso. É da comunidade. Não podemos deixar acabar com a nossa única área de lazer. É uma reivindicação justa e vamos lutar por isso. Esperamos uma resposta imediata da prefeita” relatou uma jovem que participou do movimento de protesto. Outro morador, que também esteve na manifestação, espera que a Prefeita desaproprie a área e devolva a comunidade. “A prefeita deve desapropriar essa área e destinar para a localidade. O que está acontecendo é uma covardia com o nosso lugar”, lamenta.

“Queremos uma reunião com a Prefeita, ela precisa nos ouvir”, disse outro manifestante.

No diário Oficial do Município, na edição da última sexta-feira (22), traz a publicação de uma CERTIDÃO DE APROVAÇÃO DE CONSULTA PRÉVIA DE LOTEAMENTO, assinada pela Prefeita Francimara Barbosa Lemos, que permite o início de ações por parte do proprietário, visando o empreendimento, que deve ser chamar “Meu Sossego”.  

Essa certidão é o primeiro passo para iniciar o processo de legalização, cabendo ainda ao proprietário da área buscar outras licenças para concretizar a legalização da área como loteamento.

Segundo relatos de alguns moradores, essa área teria sido doada a muitos anos atrás para a comunidade e por isso não poderia se transformar em loteamento. 

Em contato com o ex- presidente da Associação de Moradores e fomos informados que a área, a 32 anos, (há indícios que o campo de futebol está ali há mais tempo), serve a comunidade. Sobre a doação, o representante da associação informou que há época houve a promessa de doação por parte do  antigo proprietário, porém essa doação não foi formalizada através de documento, ficando doada de maneira informal a comunidade.


Segundo o empresário que adquiriu a área. Segundo Ele, a área foi comprada de maneira legal e toda a documentação está em dia. “Comprei do antigo dono e segundo ele não existe nenhum impedimento da área, e vamos dar prosseguimento normalmente ao nosso empreendimento”, afirmou o investidor.


Devido ao adiantado horário em que estamos concluindo a matéria (20h40m), não obtivemos êxito em ouvir a prefeita Francimara ou seu representante, porém deixamos o espaço aberto para a Prefeita e as partes envolvidas se manifestarem se julgar necessário. 

No final da nossa reportagem, recebemos uma ligação telefônica de um dos manifestantes. Segundo Ele, ficou decidido entre os moradores da região que, caso a Prefeita não receba os moradores para uma reunião e decida pela desapropriação da área, eles irão fazer outra manifestação, desta vez durante o período de carnaval.

As fotos foram enviadas pelos manifestantes.

Blog Carlos Jorge 

Nenhum comentário