Operação "Quebrando a Banca" cumpre mandados de prisão no Shopping Popular Michel Haddad em Campos

Cerca de 150 Policiais Civis e Militares e agentes do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) estão nas ruas de Campos desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira (11) para cumprir 25 mandados de prisão e 40 de busca e apreensão. As ações são parte da Operação Quebrando a Banca, que tem como alvo uma quadrilha que comercializa celulares roubados.
Os mandados estão sendo cumpridos em diferentes bairros do município, inclusive no Shopping Popular Michel Haddad, no Centro. Segundo as investigações a quadrilha é composta por diversos membros com atribuições distintas: obter os celulares de maneira criminosa, outra os aparelhos e revende-los.
De acordo com o delegado titular da 134ª Delegacia Policial, Geraldo Rangel, a quadrilha criou “um verdadeiro comércio”. “Estamos às vésperas do Natal, sabemos que há uma tendência de aumento no número de roubos e furtos, de forma que a ação de hoje visa justamente desarticular essa organização criminosa”, disse.
O promotor Fabiano Rangel afirma que os trabalhos de investigação duraram seis meses. “Focamos, primeiro, em assaltantes que levavam celulares de transeuntes e geralmente agiam em dupla, utilizando motos. Utilizamos escutas telefônicas e conseguimos identificar todos os núcleos operacionais que giram em torno desses assaltantes. Hoje estamos com os homens na rua para prender essas pessoas e apreender esses telefones”, disse.
Segundo o promotor, a Operação Quebrando a Banca é a maior ação de combate ao roubo de celulares em Campos e mira alvos também de fora do Estado. “Há investigados fora do Rio, que davam suporte a alguns desbloqueios, especialmente no caso dos celulares mais difíceis”.
Um balanço das prisões e apreensões deve ser apresentado durante a tarde.

Fonte: Jornal Terceira Via


Nenhum comentário