Final de semana conturbado em Italva RJ

Um crime chocou a cidade de Italva, nesse sábado (13), em mais um dia de missa na Igreja Nossa Senhora da Conceição. À noite, os moradores do município se preparavam para comemorar os 100 anos da aparição de Nossa Senhora de Fátima. Após o término da cerimônia, os fiéis se dirigiram à Praça da Matriz, onde fica a igreja, para o início da procissão em homenagem à santa. No momento da saída em direção ao local, um homem, identificado como Wesley Fernandes Severo, de 30 anos, foi morto a tiros.
Ao ser atingido, ele tentou correr para o outro lado da praça, mas foi baleado novamente. Após presenciar o crime, o padre Maxiliano Barreto se aproximou de Wesley para dar a extrema-unção, enquanto os dois eram observados pela população que se espalhava pela praça. O caso aconteceu dez dias depois de 17 policiais militares de Itaperuna — responsáveis, também, por Italva — serem enviados a São Gonçalo e à Baixada Fluminense para a Operação Presença. Depois do fato, a população evitou comentá-lo e pediu reforço no policiamento do local, que é voltado para o lazer das famílias.
De acordo com a Polícia Militar (PM), dois homens teriam passado em uma moto e efetuado os disparos contra Wesley. Eles fugiram em seguida e não foram localizados. A motivação do crime é desconhecida. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Itaperuna. O crime foi registrado na 148ª Delegacia de Polícia (DP), de Italva.
Chegou a ter um boato dizendo que teve mais um ou dois homicídios no domingo em Italva, mas não confirmado até o fechamento da matéria.
Menos PMs — No último dia 3, foi autorizada a transferência de 40 policiais militares do 8º BPM para a cidade de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, e na Baixada Fluminense. Foram enviados, junto aos militares do batalhão de Campos, 20 policiais do 36º BPM (Santo Antônio de Pádua) e 17 do 29º BPM (Itaperuna). A previsão é de que o retorno seja em junho. A Operação Presença visa, a partir do policiamento ostensivo, prevenir e reprimir o roubo de rua e a veículos nas áreas em que houve maior incidência desses delitos.
fonte: PAULA VIGNERON E ANA LAURA RIBEIRO - Folha1 e jornal olhar

Nenhum comentário