Justiça cassa mandatos de prefeito e vice de Laje do Muriaé, no RJ

Uma decisão judicial desta quarta-feira (26) cassou os mandatos o prefeito e do vice-prefeito de Laje do Muriaé, no Noroeste Fluminense. Segundo a decisão do juiz da 73ª Zona Eleitoral, Glicério de Angiolis Silva, Rivelino Bueno (PP), prefeito, e Marcos Francisco (PP), o vice respondem por abuso do poder público e econômico, além de compra de votos nas eleições de 2016. A decisão cabe recurso.
Além da cassação, o prefeito Rivelino também foi condenado à inelegibilidade de oito anos e multa.
Na decisão, o juiz eleitoral apresenta os seguintes motivos para a cassação: "nomeação, com desvio de finalidade, de cargos de assessor de secretaria" e "compra de votos de eleitores" nas eleições de 2016.
Em nota, o prefeito informou que respeita a decisão proferida ontem, embora não concorde com o teor da sentença, que segundo o texto da nota, será objeto de recurso junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).
"Queria dizer a todos os lajenses que continuem tranquilos e serenos em relação às minhas decisões. Sempre trabalhei em prol do município e vamos recorrer ao TRE demonstrando que não houve da nossa parte dolo ou culpa em relação às acusações eleitorais. Esta sentença em primeira fase não é definitiva, e permaneceremos à frente da Administração Municipal até a sentença final proferida pelo Tribunal Superior Eleitoral", continua a nota.
O texto de Rivelino finaliza informando que "na certeza da soberania da decisão popular nas eleições de 2016, continuaremos a trabalhar até o dia 31 de dezembro de 2020 pelo desenvolvimento de nossa amada Laje".

Nenhum comentário