Responsive Ad Slot

Policial

Policial

Vereadores Ozéias e Miguelito presos pela PF em Campos

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

/ I.R.
O vereadores Ozéias e Miguelito foram presos na manhã desta quarta-feira(19), em Campos, na 2ª fase da Operação Vale Voto. De acordo com as primeiras informações da Polícia Federal, há nove mandados judiciais de prisão, busca e apreensão e condução coercitiva sendo cumpridos desde as primeiras horas desta manhã.
As investigações da Vale Voto investigam possíveis irregularidades e uso eleitoral do programa Cheque Cidadão. O Ministério Público distribuiu ações contra 37 candidatos a vereador em Campos–11 dos quais foram eleitos–, que teriam sido beneficiados pela utilização indevida do programa municipal. 
(Relembre o caso no fim da matéria)

 ATUALIZADO: 12:12

A Polícia Federal, com o apoio da Polícia Militar do Rio de Janeiro, deflagrou na manhã de hoje (19/10) a Operação Chequinho, para combater crimes eleitorais em Campos/RJ.
Foram cumpridos oito mandados de prisão temporária, nove mandados de busca e apreensão e uma ordem de condução coercitiva.
As investigações apontaram para a participação de dois vereadores eleitos do município norte-fluminense, de forma direta e pessoal, no aliciamento de eleitores para obtenção de votos através do oferecimento do benefício do Programa assistencial “cheque cidadão”.
Os envolvidos realizavam reuniões políticas domiciliares nos seus redutos eleitorais, contando com o auxílio de cabos eleitorais que arregimentavam os eleitores para essas reuniões, nas quais obtinham cópias dos documentos pessoais e efetuavam a inclusão no programa, sem passar pela etapa obrigatória de avaliação por assistentes sociais. Além disso, recebiam os cartões do benefício e distribuíam aos eleitores, muitas vezes entregando em seus domicílios pessoalmente.
Essas condutas, atribuídas aos parlamentes municipais presos hoje e a outros que estão sendo investigados, causaram uma explosão na base social do programa, elevando o volume de benefícios em mais de 100% de junho de 2016 até agora.

As prisões temporárias serão de cinco dias, prorrogáveis por mais cinco, e os detidos serão conduzidos ao Sistema Penitenciário de Campos
RELEMBRE O CASO:


O vereador Ozéas foi flagrado comprando votos em uma casa do bairro Travessão. Com ele foram apreendidos R$ 27 mil, duas agendas com uma longa lista de promessas cumpridas e ainda a cumprir. Entre os “favores” feitos aos eleitores estão listados sacos de cimento, tijolos, cestas básicas, botijão de gás, pagamento de carnês da previdência social e até bolo de casamento. Nas listas os “favores” aparecem anotados ao lado dos nomes dos eleitores, alguns sinalizados como “atendido” ou “entregue”. Além de Ozéias foram levados à Delegacia cinco pessoas que aguardavam atendimento.

C24hS
Mais
© Jornal Olhar
Todos os direitos reservados.