Dornelles e Picciani em rota de colisão

O governador interino do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles, sofreu uma derrota no plenário da Assembleia Legislativa. Por 77 vetos durante sessão extraordinária na última segunda-feira, os deputados derrubaram 98 vetos do governador a projetos de Lei aprovado no legislativo. Foram sete horas de votação e o resultado, segundo avalia o jornalista Roberto Barbosa em sua página no Portal VIU ONLINE e no blog em O Diário, deixa transparente que o governador e o presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB), estão em rota de colisão.

Agora as propostas aprovadas a contragosto do governador serão promulgadas no Diário Oficial nos próximos dias, se tornando leis estaduais. Entre os projetos, está a destinação de 7,5% da receita bruta do Documento Único de Arrecadação do Detran (Duda) para o pagamento de inativos do órgão, o que pode aliviar o caixa do Rioprevidência em meio à crise econômica. O projeto é de autoria dos deputados Luiz Paulo Corrêa da Rocha e Lucinha (ambos do PSDB).

Segundo Luiz Paulo, a receita prevista do Detran neste ano é de R$ 1,25 bilhão. Com a medida aprovada, R$ 93 milhões seriam usados para o pagamento de aposentados.
“A derrubada deste veto representa uma grande vitória. Esta lei tem um preceito importante. Mostra que empresas públicas superavitárias podem assumir suas folhas de inativos. O Detran já paga a folha dos ativos e agora pode assumir a dos inativos e pensionistas”, afirma o deputado.

Bicicletas - Outra proposta que estava vetada e agora será transformada em lei é o projeto 230/15, da deputada Martha Rocha (PDT), que possibilita o leilão ou a doação de bicicletas apreendidas pela polícia que estejam abandonadas nos pátios das delegacias. A deputada lembra que, com a crise, essa medida pode tanto reforçar o caixa, através dos leilões, quanto reforçar os equipamentos da própria polícia. “Esse projeto vai permitir que bicicletas que estão ocupando espaço nas delegacias gerem recursos ou que sejam aproveitadas para o próprio patrulhamento”, explica.

Poderão ser leiloadas ou doadas as bicicletas que estejam há mais de 180 dias apreendidas sem que o proprietário tenha sido encontrado.

O diárioNF
 

Nenhum comentário