Carla Machado acusada de receber sem trabalhar


A ex-prefeita de São João da Barra (SJB), Carla Maria Machado dos Santos (PP), servidora da prefeitura do município, — admitida por meio de concurso público em 1º de maio de 1983 para a função de professor I —, é acusada de não trabalhar durante vários meses, por meio das redes sociais. 

A pré-candidata à sucessão do prefeito José Amaro Martins (PMDB), o Neco, nas eleições de outubro deste ano, segundo os denunciantes, apresentava atestados médicos para justificar as faltas no serviço. Através da sua assessoria, Carla Machado rebate e afirma que “esse assunto já foi esclarecido” e que o que seus adversários querem é “fazem intrigas” e "tentam agora, em um ano de eleições, é denegrir a sua imagem".
“Ela [Carla] apresentou os atestados dizendo estar impossibilitada de trabalhar nas referidas datas, mas foi vista em festas do município, fazendo política”, disse o ex-vereador de SJB, Zezinho Camarão, que postou em sua rede social, documentos do livro de presença da referida servidora. 

Nos meses de fevereiro, setembro, outubro e novembro de 2001, de acordo com ofício encaminhado em 2003 à Procuradoria do Município, com pedidos de providências, foram 60 faltas. Já em 2002 foram computadas 130 faltas — a ex-prefeita faltou 30 dias em maio; 29 em julho; 18 em outubro; 23 em novembro e 30 em dezembro. 

No mesmo ano, no dia 13 de dezembro, o então secretário de Administração de SJB, Cláudio Márcio Gomes Martins, convocou Carla, por meio de publicação no extinto Jornal Monitor Campista, para comparecer à secretaria, no prazo de 48 horas, sob pena de caracterização de abandono de emprego. 

EMPRESÁRIO garante que tem documentos 

Segundo o empresário Murilo Sá, conhecido por Murilo da Karol, que considera Carla Machado “funcionária fantasma” da prefeitura, em 2003, na gestão do ex-prefeito Betinho Dauaire, foi aberta sindicância para apuração dos fatos. Uma comissão, formada por três servidores, ficou responsável por notificar a investigada e elaborar o julgamento. Em sua defesa, Carla dizia que tudo não passava de perseguição política. 

O procurador do município à época era o advogado Filipe Estefan, que estaria sendo cogitado, segundo informações extra-oficiais, para ser vice na chapa de Carla nas eleições deste ano. “Tenho como provar, por meio de documentos, todas as denúncias que faço contra Carla no Facebook. São tão verdadeiras que ela nunca me processou”, disse Murilo da Karol, que já foi candidato a prefeito de SJB. Carla foi eleita em 2004 e reeleita em 2008.  

Através da sua assessoria, a ex-prefeita disse que esse assunto já foi esclarecido. Ela afirmou que reconhece as faltas, mas que compensou a todas no período de férias escolares. A assessoria explicou ainda que em 2002 Carla estava à disposição do Governo do Estado, onde exercia a função de Agente de Desenvolvimento Regional. Já as demais faltas, segundo a assessoria, “foram compensadas com serviços prestados à educação de SJB”.

O Diário

Nenhum comentário