A ressaca do Carnaval e a crise econômica


Para uma boa parcela da população o carnaval é época de esquecer as tristezas e cair na folia. Mas depois da Quarta-Feira de Cinzas a vida retoma a normalidade, aliás, para muitos é quando o ano efetivamente começa. É aí que todos vão ter que encarar a maior crise econômica em muitos anos. Existem alguns indicadores que não regem o mercado, mas retratam o tamanho da crise. Um deles é ter dobrado no ano passado o número de cortes de luz por falta de pagamento. Outro indicador informal é que em 2015 mais de 1,2 milhões de planos de saúde foram cancelados por inadimplência, é mais um contingente que passará a encarar as filas e dificuldades do SUS. 

E o desemprego que chegou no final do ano a 9%, a previsão é de que março chegará à casa de dois dígitos. Não adianta para alguns correr para o Bolsa Família porque a verba não vai subir, o governo garante que não haverá cortes, mas não há dinheiro para incluir novos beneficiários. Isso sem contar que quem recebe o Bolsa Família está perdendo poder de compra por conta da alta da inflação. O cenário é muito complicado. Vamos ver como o governo vai enfrentar tudo isso, e claro, como vai caminhar a política, que é um fator que pode complicar ainda mais a situação. Bem, depois da ressaca carnavalesca vai começar 2016. Que seja o que Deus quiser! 

Reproduções da Veja online e da Folha de S. Paulo online Blog G.

Nenhum comentário