CPI em Cambuci


A Câmara de Vereadores de Cambuci, no Noroeste Fluminense, dará continuidade à Comissão Processante que investigava supostas irregularidades na contratação de empresas para o Carnaval de 2014. O prefeito Agnaldo Vieira Mello, o Agnaldinho, recorreu contra a abertura da investigação, alegando que um dos vereadores, Davi Ramiro Ney, estaria impedido porque tinha feito a mesma denúncia na Promotoria de Tutela Coletiva, localizada em Santo Antônio de Pádua. O juiz da Vara Única do município, Paulo Vitor Siqueira Machado autorizou a investigação, determinando, apenas, que Davi seja substituído.

Na decisão, o juiz lembra que o vereador David figura como denunciante das mesmas supostas irregularidades que serão apuradas pela CPI.

— Assim sendo, diante do que foi alegado pelo impetrante, tem-se que deve ser impedido de integrar a Comissão aquele vereador que de algum modo possa macular a necessária e inafastável imparcialidade que deve notabilizar e nortear a Comissão Processante, sendo este o caso do vereador David — mencionou em sua sentença.

Paulo Vitor declarou a nulidade do procedimento deflagrado pela Comissão de Investigação e Processante, a partir do momento em que o vereador Davi passou a integrar a comissão processante, porém: “devendo ser realizado novo sorteio para composição da comissão”.

blogs/nacurvadorio

Nenhum comentário