Sem dinheiro para pagar servidores, Pezão vai “vender o futuro”


O secretário de Fazenda, Júlio Bueno, envia hoje, à Assembleia, um projeto crucial para o pagamento dos próximos salários e do 13º dos servidores.
O moço precisa alterar a lei que criou o Fundo de Desenvolvimento Econômico e Social do Estado (Fundes) — para poder “vender” o ICMS que teria a receber de empresas beneficiadas por incentivos fiscais.
Hoje, de acordo com a lei, estas empresas não recolhem parte dos impostos nos primeiros seis anos de novas atividades (até 75% do ICMS). Mas elas devolvem esse dinheiro “emprestado” a partir do sétimo ano. Para isso, emitem certificados admitindo a “dívida”.
Com a corda no pescoço, o estado vai vender agora estes certificados aos bancos — que, em troca de uma parcela, antecipam os recursos.
Salvação
Júlio precisa de R$ 2 bilhões para fechar o ano com a folha em dia. Nas suas contas, esta articulação garantiria R$ 1 bilhão aos cofres do estado.
Operações menores estão sendo deflagradas para conseguir o dinheiro que falta para fechar as contas e pagar todos os salários em dia.
NO NORTE FLUMINENSE:
A Cidade de Campos dos Goytacazes, na época fez o mesmo e foi muito criticada, são João da Barra e outros municípios já se preparam para o mesmo, mas lembrando mais uma vez, na época a Prefeitura de Campos dos Goytacazes foi pressionada a não fazer isso ou até mesmo desfazer, mas agora o Estado do Rio está fazendo e ninguém fala nada, sabemos que o PMDB vem com uma chapa de peso em todo estado. 
Fonte: Coluna Extra, Extra

Nenhum comentário