Em Muriaé P.L. acaba com salários de Vereadores, Prefeito e Vice.


A votação será transmitida ao vivo pela Rádio Muriaé, a partir das 20h (Foto: arquivo RM)

O projeto de lei que estabelece salário zero para vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários municipais de Muriaé deve ser votado nesta segunda-feira (5). A partir das 20h a Rádio Muriaé irá transmitir a reunião, que começará às 18h30, com audiência pública de prestação anual de contas da Secretaria de Saúde.
A proposta polêmica, apoiada por cinco dos 11 vereadores do município, foi anunciada na última terça-feira (29), e é um dos assuntos mais comentados dos últimos dias.
Inicialmente, o presidente da Câmara Municipal, Sargento Joel, anunciou um projeto de sua autoria, reduzindo os salários dos vereadores para R$ 1.000,00 e de prefeito e vice para R$ 3.000,00 e R$ 1.500,00 respectivamente. O secretariado municipal também teria remuneração de R$1.500,00.

Atualmente o salário bruto de vereador em Muriaé, inclusive do presidente da Câmara, é de R$ 10.946,88. Já o cargo de prefeito tem remuneração de R$ 28.868,56, e o de vice-prefeito, R$ 14.734,10, com secretários recebendo cerca de R$ 10.500,00.

Porém, à tarde uma emenda apresentada por quatro vereadores - Carlos Delfim, Júnior da Civil, Devail Gomes e Wolney Gonçalves - e acolhida pelo presidente da Câmara, foi protocolada na Casa propondo o fim dos salários para os cargos de prefeito, vice, vereadores e secretários municipais para o mandato 2017-2020.
Para ser aprovada a matéria precisa de seis votos a favor e a votação será aberta. E a julgar pelas manifestações nas redes sociais, a expectativa é de que o plenário da Câmara seja tomado pela população, que tem se mostrado dividida sobre o assunto.

DÚVIDA QUANTO AO PROJETO DE LEI

Dúvidas estão rondando os moradores de Muriaé, caso venha a ser aprovada, alguns municípios no Brasil sempre tentam aumentar os salários dos prefeitos e vereadores com a justificativa de que, se aumentar o salário não haverá "roubo", na verdade sabemos que não é bem assim, mas agora diminuir ao invés de aumentar.
Então que a lei passe a valer já para 2016, ano eleitoral, onde se gasta tudo que tem e o que não tem para se eleger ou se reeleger, acreditamos que daria mais credibilidade aos mesmos e não jogar essa contar para outros pagarem.

ESTAMOS DE OLHO!
Fonte : Rádio Muriaé. Com informações do JORNAL OLHAR

Nenhum comentário