Italva em GREVE ou em CRISE ?


Enquanto isso em Italva, RJ, reconhecida nacionalmente como Terra do Kibe,  acontece algo diferente e raro de se ver, o atual Prefeito da Cidade, Leonardo de Souza Guimarães, também conhecido como Leozinho do Banco, nome popular ou apelido que lhe foi dado pois trabalhava em um Banco Público, (Caixa), tomou recentemente uma atitude ousada, FAZER GREVE, mas muito se perguntam porque essa GREVE ?O que se sabe que Bancário gosta muito de uma greve e ainda mais trabalhando em Banco Público, então levou a ideia para Prefeitura e vai fazer o que sabe de melhor, GREVE. 
Isso mesmo na próxima segunda feira, dia 28 de setembro de 2015, Italva não vai parar, mas a Prefeitura sim, todos vão ficar de braços cruzados.
Inicialmente um dos motivos da GREVE é o atraso, ou o não repasse de verbas e ainda Redução da mesma. Sendo que temos que lembrar que agora o Prefeito Leozinho está no Partido (PMDB) de PEZÃO atual governador do Rio de Janeiro, ele mesmo fez a escolha de ir para o Partido (PMDB), agora vai fazer GREVE para ao invés de cobrar diretamente o amigo PEZÃO. Se o Governo do Estado está atrasando ou não está repassando, acho que seria fácil resolver com o Amigo Governador.

Abaixo o comunicado da Prefeitura Municipal de Italva, sobre a GREVE:

COMUNICADO DO GABINETE DO PREFEITO:
O Prefeito Municipal de Italva, Leonardo de Souza Guimarães aderindo ao Manisfesto Público da Associação Estadual de Municípios do Rio de Janeiro e dos Prefeitos dos Municípios do Estado comunica:
DECRETO N. 2173 DE 16 DE SETEMBRO DE 2015
“Determina a paralisação dos serviços públicos municipais não-essenciais no dia 28 de setembro de 2015, em protesto contra o estrangulamento econômico a que os municípios estão sendo submetidos”.
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ITALVA, usando das atribuições que lhe são conferidas pela Legislação em vigor, e considerando a brutal queda de arrecadação que estão sofrendo os municípios brasileiros, oriunda da redução significativa dos repasses federais;
D E C R E T A:
Art. 1º - Fica determinada a paralisação, por um dia, em 28 de setembro de 2015, de todos os serviços públicos do município, que não sejam considerados de caráter essencial, como forma de protesto contra a desesperadora situação econômica que as municipalidades brasileiras estão enfrentando, oriundas principalmente da redução significativa e não programada dos repasses de recursos de origem federal.
Art. 2º - Os serviços essenciais funcionarão normalmente, não sendo atingidos por este decreto.
Art. 3º - Consideram-se essenciais, exclusivamente, os serviços que envolvam diretamente:
I - Segurança;
II - Coleta de resíduos sólidos;
III - Atendimento de urgência e emergência em saúde.

Nenhum comentário