Em São Francisco Cedae cobra 10 vezes mais na conta.


Mais uma vez, uma conta de água considerada mais cara que o normal foi alvo de queixas. A leitora Cilma da Silva Ribeiro contou que o valor referente ao consumo do líquido no mês de março, de sua casa de veraneio, em São Francisco de Itabapoana (SFI), chegou quase 10 vezes mais caro que a média. Segundo ela, a residência — localizada na rua Carlos Diniz de Andrade, 243, no bairro Morro São Vicente, próximo a Santa Clara, no município de SFI — teria sido habitada apenas em um final de semana durante todo o mês. Ainda de acordo com Cilma, as contas teriam uma média de R$ 35, mas o valor do mês de março teria chegado acima do normal: R$ 343,90. A leitora, moradora do Parque Maciel, em Campos, ainda argumentou que as contas referentes a janeiro e fevereiro — meses marcados pelo verão e carnaval — teriam vindo com a média de R$ 45 e que a de abril chegou com o valor de R$ 35.

— Não deram nenhuma justificativa. Só disseram que eu teria gastado o valor que veio na conta, sendo que os meses de janeiro e fevereiro, época de verão e carnaval e época que faltou água em SFI várias vezes, vieram com valor normal. Durante todo o mês de março eu só fui para a casa de veraneio em um único final de semana, que foi o primeiro do mês. Nem na Semana Santa eu fui. Perguntaram se eu não estava com obras, mas não estava e nem estou. Pedi para fazerem vistoria e não aceitaram. Só disseram que se a conta veio no valor é porque eu teria gastado 55 mil litros. Em um final de semana? Também não lavo roupas lá, já que trago para Campos para lavar aqui. Preciso que eles revejam o problema — disse, finalizando: “Eu tentei pedir uma vistoria, mas não consegui, então cheguei à casa e vi reclamação, também de conta de março, de outro leitor, que tem uma casa em São João da Barra. Então, vi que o problema não tinha acontecido só comigo”, desabafou.

Em nota, a assessoria da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) informou, na segunda-feira, que haviam encaminhado “o caso para análise”. Já ontem, a assessoria se pronunciou: “Conforme consta no histórico de consumos do imóvel em questão, a conta que apresentou consumo elevado é referente ao período do consumo de 09/02/15 a 12/03/15, ou seja, consumo de fevereiro — período do carnaval. Já foi feito conferência da leitura e confirmou que não houve erro e que o consumo do período seguinte 12/03/15 a 14/04/15 voltou à média habitual”, finalizou a nota.

Também no mês de março, o leitor Ralph Nogueira Linhares viu a conta de água de sua casa de veraneio, em São João da Barra, chegar “69,99 vezes mais cara”. Segundo Ralph, a média seria R$ 28, mas o valor indicado na conta era R$ 1959,81.

fmanhã

Nenhum comentário