Onça parda é encontrada morta após atropelamento na RJ 168



A Guarda Ambiental, em parceria com a secretaria de Ambiente, retirou, na manhã desta quarta-feira (1º), uma onça parda morta, localizada nas margens da RJ 168, a Rodovia do Petróleo, entre a Fazenda Pau Ferro e a empresa offshore Tiger Rental.  De acordo com a equipe da  Guarda Ambiental, a onça foi atropelada por um caminhão, durante a madrugada, e um munícipe que passava pelo local fez o contato com a base da guarda, por volta das 9h, denunciando o caso.  

A onça sussuarana era do gênero masculino e estava na fase adulta. O corpo da onça foi encaminhado ao Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Socioambiental de Macaé (Nupem), da UFRJ, localizado no bairro São José do Barreto, e servirá para pesquisas ecológicas. O corpo será empalhado, compondo o acervo científico de animais silvestres regionais e o Espaço Ciência. Um pequeno museu de animais empalhados é aberto ao público para visitação de escolas e cidadãos comuns.   

Segundo o zoólogo e professor do Nupem, Pablo Rodrigues Gonçalves, o nome científico do animal é onça concolor, e ela consegue ocupar uma área de até 70 quilômetros. "Essa espécie está ameaçada de extinção, e sua morte é um prejuízo irreparável para toda a natureza, pois desestabiliza toda a cadeia alimentar da região, por ser um predador de topo", esclareceu. Exemplificando o caso do proliferação dos gambás, uma das presas dessa espécie. "Quando não se tem o predador maior, os animais de meio porte se reproduzem de forma desequilibrada. Devido a isso, é necessária uma conscientização e educação ambiental de toda a população, é preciso que todos aprendam a conviver com animais silvestres. Não maltratar, e procurar ajuda dos órgãos competentes", acrescentou. 

Motoristas devem redobrar atenção com animais silvestres

A recomendação do coordenador da Guarda Ambiental, Madson Nazareno, é que os motoristas fiquem atentos às travessias de animais silvestres nas pistas, principalmente em áreas cercadas por mata fechada. "Pedimos que os motoristas dirijam conscientemente, mantendo a velocidade padrão recomendada, pois acreditamos que o veículo que atropelou a onça estava em alta velocidade, pelo estado crítico que ela ficou", ressaltou.

Ainda de acordo com a Guarda Ambiental, o caso da onça atropelada é atípico, é o primeiro caso de atropelamento desse animal na região, outros de médio porte são atropelados com mais frequência, como gato do mato, o macaco bugio, capivara, tamanduá, tatu e gambá.

Para denunciar algum crime ambiental ou focos de incêndios, a população deve ligar para o número (22) 99701-9770. Já para marcar visitas ao Espaço Ciência do Nupem, é preciso agendar através do email hotprg@gmail.com.


FONTE: FOLHA ONLINE

Nenhum comentário