Brasileiros de volta às ruas em protesto contra o governo Dilma



Quase um mês depois dos protestos que arrastaram multidões nas principais cidades do país contra o governo Dilma Rousseff, os movimentos que pedem o impeachment da presidente da República voltaram ontem às ruas para testar seu poder de mobilização com atos em quase 400 cidades brasileiras. Na maioria dos municípios, os manifestantes trajavam camisas da seleção brasileira de futebol. 

Em Campos não foi diferente. Na tarde de ontem, manifestantes se encontraram no Jardim do Liceu, muitos vestidos com as cores da Bandeira Nacional. Eles levaram cartazes hostilizando o governo, com frases como: "Queremos o chefe! Lula na cadeia!", "Fora ladrão, incomPTentes!".

Em Brasília (DF), por volta das 10h, um dos três carros de som pedia a intervenção militar. "Não queremos reforma política desse governo comunista", dizia a faixa do caminhão. O Hino Nacional havia sido executado e uma das marchas tocadas dizia: "As Forças Armadas salvam o Brasil". Logo depois, os manifestantes seguiram em direção ao Congresso. Em Belo Horizonte, a manifestação foi na Praça da Liberdade. Em São Paulo, grupos se concentraram na Av. Paulista.

Datafolha: popularidade estabilizada

Pesquisa do Datafolha divulgada no sábado aponta que a aprovação à presidente Dilma, medida pelo número de pessoas que consideram o governo "ótimo" ou "bom", permanece em 13%. Um estudo divulgado em março revela o mesmo percentual. A popularidade da presidente, de acordo com o Datafolha, parou de cair. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O estudo ouviu 2.834 pessoas em 171 municípios do país, entre 9 e 10 de abril. 

Sessenta e três por cento dos brasileiros afirmam que, considerando tudo o que se sabe até agora a respeito da Operação Lava Jato, deveria ser aberto um processo de impeachment contra Dilma. O desconhecimento a respeito do que aconteceria depois disso, porém, é grande.

Em Campos - Os manifestantes se concentraram na Praça Barão do Rio Branco (a Pracinha do Liceu). "Além de nos manifestarmos novamente contra os governos do PT e pelo impeachment da Dilma, também ampliamos o foco de nossas reivindicações apresentando a pauta do Movimento Brasil Livre e explicando o porquê de estarmos juntando nossas forças às dele", postou no Facebook, Marcelo Amoy, um dos manifestantes. "Quando o governo e os políticos agem apenas em interesse próprio, impedem o desenvolvimento do Brasil próspero que todos nós merecemos. Esta é uma distorção que cabe a nós, cidadãos brasileiros, corrigir. E nós não vamos ficar parados. Vamos clamar juntos por um Brasil ético, justo, próspero e com valores sólidos. E, acima de tudo, por um Brasil unido", acrescentou.

Durante o ato, os manifestantes fizeram questão de destacar a exclusão de bandeiras e camisas de partidos políticos. "Nosso partido é o Brasil". 

FONTE: JORNAL O DIÁRIO

Nenhum comentário