Chuva traz alívio, mas não resolve os problemas da seca para a região



O outono chegou na última sexta-feira (20/03) e trouxe a tão esperada chuva. Como é um período de transição, a estação traz períodos de instabilidade, fazendo calor em alguns períodos e trazendo fortes chuvas em outros, do mesmo modo como é o verão, ou pelo menos como deveria ter sido este ano.
Somente no sábado (21/03) e no domingo (22/03) choveu 42,7 milímetros, segundo a Defesa Civil de Campos. Mesmo com esse considerável índice pluviométrico, o setor agrícola continua passando por dificuldades, assim como o Rio Paraíba do Sul.
Na medição realizada às 8h desta segunda-feira (23/03), a cota do Paraíba marcava 4,85m, muito abaixo do normal e mesmo que a previsão aponte chuva para os próximos dias, não há expectativa de que o nível do rio suba.
Para o técnico em meteorologia, Carlos Augusto Souto, as chuvas dos últimos dias não compensam a falta delas no verão. "Esse é o terceiro ano seguido que a gente tem uma seca bem acentuada e esse ano foi a pior. De primeiro a 31 de janeiro o nível de chuva foi zero e isso é inacreditável. Isso causa um déficit hídrico muito grande.”
Carlos Augusto ainda ressaltou que para o Rio Paraíba essa chuva não faz muito efeito. "Para o Rio, ela [chuva] é muito irrelevante, teria que chover muito mais. Era comum no verão, a gente pegar ônibus na Beira Rio e conseguir colocar a mão no Rio. E esse ano isso não aconteceu", exemplifica, informando que para ser significante para o Paraíba, a chuva teria que acontecer na Região Serrana e em Minas Gerais e ainda assim teria que ser em grande volume.
O técnico alerta que a população não pode se deixar enganar pelas chuvas que caíram em Campos e região e também em São Paulo. A palavra de ordem continua sendo a racionalização da água. "As pessoas tem que pensar que a chuva que caiu em São Paulo, nos últimos quatro dias deveria ter acontecido em vários dias de dezembro, janeiro, fevereiro e no início de março. Mesmo que chova até o final de março, não compensa a chuva que deixou de cair."
Mesmo não resolvendo os problemas, a chuva traz certo alívio para produtores rurais da região. "Estamos felizes com essa chuva que caiu no sábado, deu um alívio, mas a absorção do solo é diferente do asfalto, é muito rápido e não faz muito efeito. Estamos numa situação crítica ainda, precisando de muito mais chuvas", ressaltou Beto da Fonseca, produtor e criador, que revelou ainda que chegou a abrir poços e relocar os animais para que eles pudessem ser alimentados.
Segundo o Climatempo, a previsão da semana para Campos e região é de tempo instável, podendo chover a qualquer momento. As temperaturas variam entre 20 e 35 graus.

FONTE: JORNAL URURAU

Nenhum comentário