Explosão em navio-plataforma FPSO deixa três mortos e 10 feridos



Na tarde desta quarta-feira (11/02), houve uma explosão na plataforma FPSO Cidade de São Mateus, na cidade de Aracruz no Espírito Santo. O acidente foi por volta de 12h50 e, segundo informações obtidas pelo Sindipetro ES, em decorrência da explosão, morreram três trabalhadores e outros 10 ficaram feridos. Trinta e três pessoas foram desembarcadas e outras 31 permanecem a bordo, dentre as quais seis permanecem desaparecidas.
Os feridos foram encaminhados para dois hospitais com especialização em tratamento de quimados, que é o Vitória Apart e o Jaime Santos Neves. O navio fica a 19 milhas das costas do Espírito Santo. 
Ainda segundo o sindicato, o acidente foi causado por um vazamento de gás na praça de máquinas da casa de bombas da plataforma, que é operada pela BW OFF Shore, mas estava a serviço da Petrobras. O incêndio já foi controlado e não há risco de novas explosões.
A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária(Infraero) informou que criou um plano de contingência para facilitar o embarque e desembarque dos helicópteros com vítimas no Aeroporto de Vitória. O primeiro helicóptero pousou às 15h30. Ainda segundo a assessoria da Infraero, foram solicitadas 14 ambulâncias para transportar os feridos aos hospitais mais próximos.
Por meio de nota enviada pela Petrobras ao Gazeta Online, confirmou que o acidente ocorreu por volta de 12h50, "uma explosão a bordo do navio-plataforma Cidade de São Mateus operado pela empresa BW Offshore e afretado pela Petrobras. A unidade opera, desde junho de 2009, no pós-sal dos campos de Camarupim e Camarupim Norte, no litoral do Espírito Santo, a cerca de 120 km da costa. Do total de 74 trabalhadores embarcados, três não resistiram aos ferimentos e faleceram no local; dez sofreram ferimentos e já foram transferidos por helicóptero para atendimento médico em Vitória e outros seis estão desaparecidos.
A BW está prestando toda a assistência aos seus funcionários e familiares, com apoio da Petrobras. O acidente foi controlado a partir do imediato acionamento do Plano de Emergência com a mobilização de todos os recursos necessários. As operações da plataforma foram interrompidas. A produção da unidade era de cerca de 2,2 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural.
A Petrobras notificou oficialmente a Marinha e a Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustiveis (ANP). A concessão de Camarupim é operada pela Petrobras (100%) e a de Camarupim Norte é uma parceria entre a Petrobras (65%) e a empresa Ouro Preto Energia (35%)".

FONTE: JORNAL URURAU

Nenhum comentário