Ciclone pode ter atingido Quissamã



O vento forte que assustou moradores de Quissamã e região no último domingo, tombando árvores sobre casas e causando danos a pelo menos sete famílias, foi um fenômeno atípico, com risco pequeno de acontecer de novo. A opinião é do membro do Instituto Histórico e Geográfico de Campos Carlos Augusto Souto.

Chuva e vento forte atingiram os bairros Piteiras e Carmo, num raio de um quilômetro, por cerca de 30 minutos tombando árvores em cima de sete casas, da Unidade de Saúde da Família do Carmo e da cobertura da quadra esportiva do bairro.

Segundo Souto, os ventos podem ter sido tanto um vendaval quanto um ciclone. Ele acredita mais na tese de um movimento ciclonal, pelas características do fenômeno. "O vendaval é um deslocamento de ar de uma área de alta pressão que vai para área de baixa; já o ciclone é composto de vários fatores, entre eles o aquecimento da atmosfera e ventos fortes".

A Prefeitura de Quissamã avaliou os imóveis atingidos, interditou um e realizou limpezas gerais. Das sete casas atingidas, apenas uma vai ter que ser recuperada.

FONTE: JORNAL O DIÁRIO

Nenhum comentário