Ministério Público recebe denúncia da Câmara dos Vereadores de Italva


No final do ano passado postamos uma notícia sobre a possível perda de cargo do Vereador de Italva, como você pode ver aqui , o vereador de Italva Antônio Elias Ancelmé, por ter faltado a 31 sessões (o máximo permitido são 26) da Câmara de Vereadores em 2014, pode ter seu mandato cassado. O vereador também mudou de partido, pois foi eleito pela coligação PRP/DEM/PSDB e ingressou no Partido da Solidariedade (SD). Constatado o fato, a suplente da coligação, Marinete da Silva Barcelos Teixeira, a Marinete de Morro Grande, reivindica a cadeira do seu ex-colega de partido. 

Todavia, o presidente da Câmara de Italva, Wilson Nogueira, não tomou providências, como determina a lei e o regimento interno. Foi protocolado (protocolo de n° 3083 de 06/01/2015) ofício junto à Câmara de Vereadores pedindo o afastamento do vereador por ele ter descumprido o regimento interno. Também foi comunicado ao Ministério Público para que seja instaurado inquérito para averiguação e constatação do fato, requerendo as medidas punitivas.

A suplente Marinete Teixeira acredita que Antônio Elias Ancelmé ainda não foi afastado definitivamente, porque é filho do ex-prefeito de Italva, Darli Ancelmé e primo do atual prefeito, Leonardo Guimarães. Como o presidente da Câmara, Wilson Nogueira, tem interesses na Prefeitura (seu filho, inclusive, é amigo e motorista do prefeito), não vai cumprir a lei se não for obrigado pelo Judiciário, os partidários de Marinete e pessoas de bem da comunidade devem pressionar politicamente para que a Câmara faça o que preceitua o seu regimento interno. 

A verdade é que o Ministério Público pode a qualquer momento cassar o então Vereador  Antônio Elias Ancelmé e ainda o Presidente da Câmara, Wilson Nogueira, pode sofrer sanções, ser penalizado ou ainda ser afastado do Cargo da Presidência da Câmara de Vereadores de Italva.

Nenhum comentário