Autopista apresenta estudo sobre duplicação da BR-101 em Macaé



Nesta quarta-feira (28/01), a Autopista Fluminense, empresa do Grupo Arteris, apresentará estudo sobre duplicação da BR-101/RJ na região da Macaé. A audiência pública promovida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) acontecerá às 19h, no Colégio Estadual Matias Neto (Rua Conde de Araruama, nº 439, Centro). No último dia 14, em reunião ocorrida na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), em Campos, o diretor superintendente da Autopista Fluminense, Odílio de Jesus Ferreira, afirmou que as obras do contorno de Campos podem começar até mesmo este ano.

A realização da Audiência Pública é um dos pré-requisitos para a concessão da licença prévia (LP) para a obra emitido pelo IBAMA, já requerida ao instituto pela concessionária. Além da discussão em torno do projeto de duplicação da BR-101/RJ Norte, também será apresentado o Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) – aceito em Outubro de 2014 – para o trecho compreendido entre o km 144,2 (Macaé) e o km 190,3 (Casimiro de Abreu), com 46,1 km de extensão.

Em Casimiro de Abreu, a BR-101 cruza a Reserva Biológica União, o que exigiu da concessionária um trabalho intenso para definir as formas de minimizar o impacto ambiental através da execução da duplicação dentro dos limites da rodovia (faixa de domínio). “O processo participativo é fundamental para o desenvolvimento das obras. A partir das contribuições da sociedade é possível identificar em quais pontos o projeto precisa ser eventualmente alterado para atender a demandas específicas dos moradores e empreendedores locais”, afirma o diretor superintendente da Autopista Fluminense, Odílio Ferreira.
Segundo Olício, o grande desafio é a região de brejo (do km 144 ao km 190), que tem mais ou menos 1,5 km de extensão com mais de 20 metros de solo mole.
“Teremos de atravessar toda essa extensão, mas a expectativa é boa e nossos técnicos estão bastante otimistas. Hoje, estamos aguardando o licenciamento para começarmos primeiro do km 144 ao km 190 e dentro da sinalização do licenciamento, iremos executar esse projeto que não vai trazer transtorno ao meio ambiente. Iniciada a obra esperamos concluí-la tranquilamente em dois anos” esclareceu Odílio informando que o Eia Rima já foi elaborado, apresentado e aprovado pelo Ibama.

DUPLICAÇÃO DA BR-101/RJ

A duplicação de 176,6 quilômetros da BR-101/RJ, entre Rio Bonito e Campos, é a maior obra do contrato de concessão assinado entre a Autopista Fluminense e o Governo Federal. O segmento da BR-101 a ser duplicado foi subdivido em três trechos e a previsão de conclusão total das obras em 2017. As obras de duplicação da BR 101 seguem em ritmo acelerado, com trechos liberados ao tráfego já em 2014.

Atualmente, a Autopista Fluminense mantém obras em 81 quilômetros da rodovia. Em 2014, a Autopista Fluminense entregou 39 km de pistas duplicadas para o tráfego e outros 46 km estão em licenciamento – trecho compreendido entre o km 144,2 (Macaé) e o km 190,3 (Casimiro de Abreu).
Além dos impactos positivos que a duplicação traz para a economia do Norte Fluminense, a obra também beneficia a segurança dos usuários. Entre os meses de janeiro e dezembro de 2014, houve apenas um acidente com óbito registrado nos 39 km de novas pistas duplicadas liberadas entre Campos e Macaé (km 102 ao km 118, do km 123 ao km 143 e do km 190 ao km 193), o que evidencia a melhoria para segurança dos motoristas que trafegam pela região. 

JORNAL URURAU

Nenhum comentário