Estado fecha as Farmácias Populares até o fim do mês



Por determinação do Governo estadual, até o próximo dia 31 de dezembro, todas as 19 Farmácias Populares do estado do Rio de Janeiro serão desativadas. Em Campos, a medida tem causado preocupação nos usuários e funcionários, que afirmam terem sido pegos de surpresa. A unidade, inaugurada em 2004 pela então governadora Rosinha Garotinho, tem 1.180 mil usuários cadastrados e 16 trabalhadores que ficarão desempregados. Todos já teriam sido avisados. Em todo o estado serão cerca de 300 demitidos.

Em nota, o Instituto Vital Brazil (IVB), que gerencia o programa, informou que a Farmácia Popular não irá acabar. "O programa está sendo ampliado. O Governo do Estado está aumentando de 19 para 1.100 pontos de venda". Segundo o IVB, os usuários cadastrados no programa passarão a utilizar um cartão intitulado "Cuidados Especiais". 

Uma das funcionárias, que não será identificada, defende a ampliação do programa, com uma nova grade de medicamentos, que estaria defasada, ao invés da desativação. "É um programa que deu certo, mas parece que o governo não tem interesse em fazer com que continue funcionando. Iniciamos aqui com estrutura para atendermos idosos e portadores de necessidades especiais", disse, destacando que haverá mobilizações no Rio para tentar reverter a decisão. "Estamos preparando um abaixo-assinado", acrescentou. 

Outro funcionário, que também não será identificado, acredita que não haverá tempo, até 31 de dezembro, para que todos os usuários tenham o novo cartão em mãos. "Eles terão que pegar esse cartão na própria farmácia, mas ainda nem recebemos para entregar. Depois que a unidade fechar as portas, a quem eles vão recorrer?", indagou.

Dilma Ribeiro, 53 anos, esteve na unidade para comprar fraldas. Ela ainda não sabia da desativação da farmácia. "Estou sabendo agora", disse ela, que gasta R$ 8 por mês comprando 32 fraldas. Cada pacote com quatro fraldas custa R$ 1. 

Ainda, segundo a nota enviada pelo Instituto Vital Brazil, a ampliação do atendimento está sendo feita por meio da integração do serviço prestado pelo estado ao serviço oferecido pelo Governo Federal. "Desta forma, será possível não só aumentar os pontos de venda como aumentar a quantidade da oferta de fraldas".

Desde março deste ano, segundo o instituto, os 16 mil usuários do programa estão sendo cadastrados para que recebam, até o fim deste mês, o cartão. "O novo sistema, que já funciona em Niterói, Petrópolis, Resende e Volta Redonda, permitirá que o consumidor escolha o tamanho e a marca da fralda de sua preferência. A compra só poderá ser realizada mediante a apresentação do cartão, que será recarregado automaticamente todo dia 15 de cada mês, com o valor de R$ 76,80", informou. 
Para tirar dúvidas, os usuários poderão telefonar para o 0800-8889697, entre segunda e sexta-feira, das 7h às 19h, e aos sábados, das 8h às 12h.

FONTE: JORNAL O DIÁRIO

Nenhum comentário