O lateral-esquerdo André Santos sentiu na pele a ira da torcida do Flamengo.


O lateral-esquerdo André Santos sentiu na pele a ira da torcida do Flamengo. Após a goleada do time rubro-negro para o Internacional, por 4 a 0, no Beira-Rio, o jogador foi agredido por um grupo de torcedores. Enquanto se dirigia a uma van, foi cercado e precisou contar com a ajuda de dois policiais gaúchos, além de um segurança, para se desvincilhar do bando. Em Florianópolis, na casa dos pais, o atleta deixou claro que não pretende deixar o clube da Gávea.

- Em nenhum momento pensei em sair, em nenhum momento pensei em abandonar. Porque isso é coisa de covarde, de homem que tem medo de enfrentar os problemas. Nenhum momento isso passou pela minha cabeça. Eu tenho atitude e vou tirar o clube dessa situação - disse.
O lateral foi incisivo ao defender seu posicionamento e lembrou as conquistas na carreira, sobretudo as que vieram já com a camisa do Flamengo. Além da Copa do Brasil de 2013, André Santos também ganhou a Taça Guanabara e o Campeonato Carioca deste ano. Com apenas sete pontos, o Fla é o lanterna do Campeonato Brasileiro após 11 rodadas.
- Tenho uma carreira muito sólida, ganhei tudo que eu almejei na vida. Hoje eu estou com a cabeça mais fria. Analisando a situação, eu quero voltar e tirar o Flamengo dessa situação. Em todos os clubes que eu passei, nunca fui rebaixado. Pelo contrário, sempre ganhei títulos. E no Fla já ganhei três, recentemente - afirmou André.
O jogador voltou a contar como aconteceu o momento da agressão. Nesta segunda, pela manhã, o jogador rubro-negro já havia detalhado o ocorrido em entrevista para a TV Globo.
- Na hora que estava caminhando para van eu não vi nenhum torcedor. Quando percebi a chegada de alguns deles, não tinha mais como voltar. Recebi chutes e socos. Protegi o rosto para não me machucar mais. Estava só com um segurança. Os policiais chegaram em seguida e me ajudaram bastante, mas até conseguir entrar na van eu apanhei bastante - lembrou.
Fonte: G1

Nenhum comentário